Dando para o Caminhoneiro

Eu estava em uma parte meio afastado do centro de Brasília. Neste local vários caminhoneiros ficam parados com suas carretas esperando sua vez pra abastecer, dezenas delas. Minha imaginação ia ao extremo, imaginando aqueles machos fodendo alguém. Neste local tem um posto de gasolina que também tinha caminhões parado, eu até pensei em entrar no banheiro pra ver se via algum tomando banho, mas não tive coragem.
Alguns ficavam meio afastados um do outro e percebi que tinha alguém dentro de um deles. Um macho moreno claro, forte ( não sarado, daqueles que tem o corpo gostoso sem precisar ser saradões ). Usava cavanhaque e estava sem camisa, apesar de estar frio e com o tempo bem nublado. Fiquei louco e não consegui para de encarar ele. Ele viu que eu o encarava e ficou na dele. Dei um tempinho e voltei em direção ao caminhão que ele estava no sentido contrário. Ele viu que eu estava vindo de longe, saiu do lado do motorista e sentou no lado do caroneiro. Abriu a porta e esperou eu me aproximar.

Quando eu estava chegando perto do caminhão percebi que ele me encarava com cara da safado, daqueles que tem cara de mau, mas tão louco pra te foder. Diminui o passo e olhei pra dentro da cabine tive um susto, aquele machão peito e barriga peluda, coxas grossas e de pernas abertas usando um Calção meio largo no qual ele tirou seu cacete pra fora da cueca e deixou a amostra. Quase tive um treco vendo aquele pau que devia ter 22 ou 23 cm grosso e cabeçudo meio duro na minha frente. Ele não falava nada, mas fez um gesto com a cabeça apontando para o kctão dele, enquanto segurava seu mastro.
Não me fiz de rogado, me aproximei da cabine e fiquei entre aquelas coxas gostosas e cai de boca. Imagina eu em pé mamando um macho sentado na boleia do caminhão. Nem me importando se outro caminhoneiro visse. Ele gemia sinal que estava gostando da mamada. Começou a dizer alguns palavrões, coisa que adoro quando um macho me fode. Vai chupa viado, mama meu kct putinho. Vocês viados sabem fazer isso bem. Ele segurava minha cabeça pra enterrar tudo.
Logo disse pra eu entrar na boleia pra não sermos vistos. Fechou a porta e as cortinas da boleia. Tirou o calção e a cueca e ficou peladão. Sentou com as pernas bem abertas e mandou eu continuar mamando. Depois de alguns minutos de mamada, ele disse que iria comer meu rabo, porque não comei ninguém fazia muito tempo devido as viagens. Que iria foder meu cu até deixar bem largo. Eu confesso que senti um pouco de medo com o que ele faria no meu rabo devida a fúria com que ele socava o pau na minha boca. Mas é desse que eu gosto, machos fodedores. Que fodem um cara sem saber se vai doer. Disse pra eu ficar pelado e deitar de bruços na cama que fica atrás dos bancos, o que fiz de imediato. Mas antes tive que mamar ele depois que colocou a camisinha pra lubrificar mais. A camisinha quase que não entra devido a grossura o kct dele. Fiquei de bruços, lubrifiquei bastante meu cu com saliva. Ele veio pra cima e antes de tentar meter deu mais uma cuspida no meu cu e no pau dele. Se posicionou se apoiando somente com um braço e com a outra mão segurando o pau em direção do meu cu. Encostou a cabeça do tico no buraco apoiou o corpo com os dois braço e começou a meter. Nossa como doía, pedi pra ele tirar um pouco pra eu relaxar e ele disse; “não vou tirar nada seu puto, viado desgraçado. Pedi pra levar e fica se fazendo da coitado quando leva no cu” “vou meter ate as bolas”. Vi que ele não estava brincando tive que agüentar. Mordi o travesseiro que tina na cama e torci pra passar a dor. Ele não queria nem saber, socava pra valer em um movimento muito frenético. Me chamava de putão, “tu adora levar nesse cu né! Toma então o que tu queria, cacete né viado. Vou deixar teu cu largo de tanto foder.
A dor passou e comecei a sentir tesão com aquilo tudo. Arrebitei a bunda e comecei a rebolar embaixo daquele macho me comendo. Ah, tu ta gostando cadela ( adoro que um macho me chame assim quando me come, me deixa ma louco ) e começou a socar com mais forca e vontade. Tirou o tico do meu cu e disse pra eu ficar de quatro. Senti um vazio quando saiu o pauzão que parecia ter aumentado de tamanho. Ele meteu de novo e cada vez mais forte. Por baixo peguei nas bolas dele que o deixou mais tarado. Adoro segurar nas bolas quando estão me comendo. Ficou metendo por meia hora, aumentou os movimentos e os gemidos, sinal que o gozo estava vindo. Baixei a parte da frente deixando minha bunda mais arrebitada e rebolei da vara dele. Ele gemia e disse que iria se acabar no meu rabo. Aaaaahhhhhhhhhhhh, uhhhhhhhh vou gozar, vou gozar no teu cu putão. Deu um baita gemido e encheu a camisinha de porra, pude sentir o pau latejar no meu cu e com a mão que estava no saco dele. Bom eu já tinha gozado bem antes dele ter gozado, enquanto era estocado com força. Aquele machão com o pau duro dentro de mim parecia não estar satisfeito. Dito e feito começou a meter de novo e para meu desespero ele iria demorar pra gozar. Deixei ele socar até onde eu aguentava. Disse que não estava mais aguentando e pedi pra chupar o pau dele e fazer ele gozar. Ele disse que deixaria se ele gozasse na minha boca. E foi o que fiz, ele tirou o tico do meu cu que estava em brasa e deitou na cama de barriga pra cima e mandei ver. Ele segurava minha cabeça pra atolar todinho ate a garganta. Mamei e bati pra ele. Ele gemia e disse que ia gozar de novo. Pegou minha cabeça com as duas mãos e começou a foder minha boca. Deu um gemido mais alto e soltou jatos de porra na minha boca e garganta. “engole; e toda minha porra viado, não deixa nenhuma gota de fora” ele continuou deitado enquanto eu me vestia. Quando se recompôs levantou e disse “cai fora puto, fiz o que eu queria fazer agora vai embora”.
Me vesti e fui embora com meu cu ardendo e pensando no que aconteceu. Apesar de tudo eu adorei. Assim que gosto, foder com machos hetéros que não querem nada mais que foder um rabo e mandar embora. Estou pensando em voltar neste local outro dia pra ver se levo outra surra dessa. Quem sabe?

Fui mulherzinha do caminhoneiro

Foto ilustrativa

FUI MULHERZINHA DO CAMINHONEIRO By: viadinha Resolvi fazer uma viagem de férias, mas muito diferente, só de mochila nas costas e muita vontade. Eu levaria só dinheiro para comer na estrada, tanto na ida quanto na volta. Fui para a estrada até perto de um posto de gasolina, onde haviam diversos caminhões parados, então resolvi arranjar a primeira carona ali. Vi vários caminhoneiros no bar do posto, outros indo para o banheiro que foi o primeiro lugar que entrei é claro. Alguns caminhoneiros tomavam banho, pois estava um calor muito forte e assim preparavam-se para pegar a estrada. Fui até o mictório onde tinha dois caminhoneiros e resolvi puxar conversa e depois de um tempo perguntei para onde iriam, já que pra mim qualquer lugar seria bem vindo. Então um deles, um homem negro muito forte, alto e com cara de sacana aparentando uns quarenta e oito a cinqüenta anos me disse que já estava saindo para Caculé na Bahia, e que poderia me levar, pois seu caminhão era de cabine espaçosa, grande e confortável. então fomos para o caminhão, onde constatei que realmente era grande por dentro. Ele entrou e já tirou a camisa mostrando um corpo musculoso, braços e pernas grossos e como sua bermuda era justa deu pra observar bem o tamanho da sucuri que ele tinha entre as pernas. Começamos nossa viagem ouvindo musica sertaneja e contando aventuras de nossas vidas. Quando deram umas sete horas da noite ele parou num posto muito bonito onde tinha um terreno enorme que era usado como estacionamento para caminhões onde os caminhoneiros pernoitavam, era escuro, cercado e com vigia no portão, Ele resolveu estacionar seu caminhão na parte mais escura e deserta.Ele me disse que estava um pouco cansado e com sono por isso íamos tomar banho, jantar e dormir já que iríamos dormir no caminhão. Ele arrumou a cama na parte detrás do caminhão, onde tinha um espaço muito bom pra dormir. Ele me disse que dormiríamos ali e me perguntou se tinha algum problema e é claro que eu disso que não. Então fomos tomar banho, só que quando entramos no banheiro que era enorme, havia uns vinte Box c/ chuveiro, só havia um vazio e ele disse vamos ter que tomar banho juntos nesse aqui, pois ta lotado, eu disse que tudo bem. Ele disse então: -Espero que não se importe. E eu concordei dizendo que tudo bem. Entramos no Box e fechamos a porta, era meio apertado e começamos a tirar nossas roupas, quando tirei toda a minha e ele tirou a dele, quase tive um treco, pois ele tinha uma rola enorme que compara da à minha que tem 19 cm, a dele mole deveria ter uns 23 cm; ele ligou o chuveiro e começou a se ensaboar e eu não conseguia tirar o olho daquela rola enorme, isso ela mole, ele parece ter percebido e me disse: – Quer que eu esfregue suas costas?…eu prontamente disse que sim, então me virei de costas pra ele, me apoiei na parede, separei um pouco as pernas e ele começou a esfregar minhas costas chegando com a picona perto da minha bundinha, lisinha, redondinha, de cuzinho rosadinho e dava uma escostadinhas, tipo como quem não quer nada e aquilo só estava me deixando com tesão que foi aumentando, tomando conta de mim rapidamente, ele percebendo tudo foi encostando cada vez mais aquela rola deliciosa e eu fui cedendo, já com a respiração ofegante, ele então começou a descer a mão passando sabonete nas minhas costas e de leve foi descendo a mão junto com o sabonete e começou a esfregar no meu reguinho, subindo e descendo onde de repente parou com o dedo bem na entradinha do meu cuzinho e começou a forçar de leve, onde seu dedo enorme foi entrando, então ele enfiou dois, três, quatro e me fazia rebolar naqueles dedos, não aguentando mais, virei um pouco me inclinei e comecei a chupar sua rola que já estava meio dura. Aquela picona ficou enorme com uns 12 cm de circunferência e não demorou muito ele gozou na minha boca de maneira que consegui engolir tudo, mas a rolona não amoleceu, então ele me virou de costas pra ele, separou bem minhas pernas, se agachou e começou a dar estocadas fortes com a língua no meu cuzinho que há essa hora já estava disposto a engolir até a perna dele, eu já não tinha mais controle, ele levantou, me fez arrebitar mais minha bundinha e colocou a cabeçuda na entradinha do meu cuzinho e me disse para eu mesmo ir forçando de maneira que ele enterrasse aquela pica sem me machucar. Quando a cabeçona passou, ai deslizou todinho pra dentro, não acreditei que eu estava com tudo aquilo dentro de mim; eu sentia meu cu arregaçando e isso me dava um tesão violento, tanto que eu comecei a gemer e ele percebendo que eu estava pra gemer alto, tampou minha boca, me abraçou por trás e começou a mandar rola, era cada catracada mais forte que a outra e eu há essa hora queria mais. Ficamos assim por uns quinze minutos, então senti seus jatos de porra me inundando, foi tanto que escorria pelas minhas pernas e eu tava adorando tudo aquilo. Quando ele acabou eu estava com as pernas bambas, mal conseguia ficar em pé e ainda não tinha gozado, mas resolvi deixar pra depois, acabamos de tomar banho, chupei mais um pouco sua rola e fomos para o caminhão. Deitamos e dormimos rápido, Quando foi madrugada, o senti me abraçando por trás, colocando sua rola entre as minhas coxas, já que dormimos sem roupa devido ao calor que fazia. Senti o cacetão duro dele com a cabeçuda já na minha bundinha e a mão alisando minhas tetinhas. Meu pau estava endurecendo rápido devido ao tesão que eu sentia e me coloquei com a bunda mais arrebitada para facilitar a entrada daquela picona enorme no meu anelzinho novamente. Era um pau muito grande, como eu estava deitado de ladinho, ele lubrificou com muita saliva meu cuzinho, ergueu minha perna esquerda, forçou um pouco a entradinha do meu cuzinho e a cabeça passou com facilidade, sentindo depois o restante daquele poste me invadindo, mas estava tão bom que eu me sentia uma verdadeira puta e ele começou a bombar me chamando de piranha, vagabunda, safada, putinha e me dizia, sente eu te comendo safada, to te arrombando, arregaçando, te fudendo bem gostosinho, tesuda. Então ele gozou no meu cu, de maneira que eu gozei sem por a mão no pau e gozei muito. Dormimos assim até amanhecer, com a pica dele ainda enterrada na minha bundinha e acordei com ele endurecendo dentro do meu cuzinho e como eu já estava bem lubrificado, com o cuzinho cheio de porra, ele só precisou começar a bom dar novamente e meu tesão também foi aumentando e comecei a gemer baixinho e ele me chamando novamente de putinha gostosa, quando ele já estava perto de gozar eu percebi e disse: – quero seu leitinho na minha boquinha meu macho gostoso, imaginem só, um macho negro, forte, com uma pica gigantesca e grossa atolada no seu cu…é uma delicia, eu adoro ser putinha de macho assim, adoro me vestir com lingerie, tipo tanguinha fio dental enterradinha no reguinho da bunda, salto alto, espartilho, vestidinho coladinho, meia 7/8, peruca, maquiagem, sei me sentir uma verdadeira fêmea. Quando ele ia começar a gozar, tirei sua pica do meu arregaçado cuzinho, a coloquei na boca e comecei a chupar de maneira que em 3 minutos ele gozou na minha boquinha, onde sorvi toda a porra, deixando aquela picona limpinha e enquanto ele gozava na minha boca eu também comecei a gozar e muito. Levantamos, fui até o banheiro, tomei outro banho, mas ainda sentia porra escorrendo da noite anterior, tomei um banho super gostoso e voltei para o caminhão. Gastamos quatro dias para chegar em caculé, mas ele me comeu todos os dias pela manhã, tarde e noite e me tratava como putinha mesmo, fiquei toda arregaçada, mas valeu e muito

Aventura com o caminhoneiro Coroa galante

Ola !! me chamo Gael, sou um homem de 27 anos, 1,73m de altura , olhos escuros , lábios carnudos, cabelos cacheados, corpo atlético pois sempre gosto de cuidar da minha saúde e aparência , de pele parda, não possuo jeito de digamos afeminado mas nao que tenho algo contra mas cada um tem o seu jeito de ser, me considero amante do sexo pois gosto de homens e mulheres, o que me chama atenção atualmente é o jeito das pessoas, as conversas, e principalmente o olhar e o sorriso. Acho muito atraente nos homens o cabelo grisalho, a barba grande, uma barriga de cerveja , pelos no corpo, particularmente um charme e cara de safado ja me desarma.

A ums dois meses atrás aqui no estado do MT começou a safra de milho, como trabalho em balança no escoamento e recepção da lavoura tive contato com vários homens e sempre tive muito contato com caminhoneiros e um desses dias, veio um mecânico concertar um avião aqui na fazenda , a principio não tinha visto nenhum dos mecânicos aqui na fazenda apenas fiquei sabendo que estavam na fazenda , trabalhei normal , a noite fui para o meu alojamento , onde eu fico sozinho, jantei e fui direto para o quarto, coloquei um fone e assisti filme até umas 22h sai para ir ao banheiro e notei que todos ja haviam ido dormi , quando estava retornando para meu quarto reparei que tinha alguém sentado do lado de fora nos bancos admirando a lua que por sinal estava muito bonita. Quando reparei era um homem que aparentava ums 45 anos , com uma leve barriga, meio forte , mais alto que eu . fui para o quarto e comecei a ver uns vídeos até que passou um vídeo de homem bem semelhante a este , que ele botava o rapaz para mamar com um pau grosso e médio e gozava fartamente . Logo me surgiu a vontade, então resolvi ver se o mesmo estava lá fora ainda, coloquei um shorts curto , que valorizava minha bunda que por sinal e grande e redonda , dura risos … benção de família… e para minha surpresa estava lá fora. vou chamar de Pedro.
Eu: Boa noite .
Pedro: Boa noite .
Eu: e ai jovem , sem Sono ?
Pedro: Um pouco e Você ?
Eu tenho uma facilidade muito grande em conversar, ainda mais com homens e fiquei curioso e atiçado em conversar , em diante conversamos sobre tantas coisas, e ele estava bebendo e escondeu o litro de cachaça mas logo ja tirou e deixou no banco, eu busquei uma bebida e falamos sobre a vida, empresa, experiências até que entramos no assunto chamado sexo. Reparei que ele em algum momentos me olhava de cima em baixo e eu fingindo que não estava reparando, uma cara de safado. Em momento ele disse:
Pedro: nessa vida as coisas são curtas, eu aproveito o momento, Já fiz de tudo , fiquei com mulheres , bonitas , feias, e até homens e eu sou meio xucro mas não tenho frescura pra isso não , eu aproveito.
Eu: È seu Pedro vc não e o único já tive minhas experiências. Na hora pensei em muitas coisas , mas ali era muito arriscado na fazenda fazer algo .
Pedro: Você e um rapaz bonito e muito educado.
Eu: obrigado, vc e muito gente boa .
No momento depois escutamos um barulho era o rapaz do alojamento do lado acordou para fumar , então quebrou o clima, disfarcei e falei que iria deitar.
No dia seguinte , fiquei o dia todo pensando nele , na forma como ele me olhava, jeito másculo e xucro mas ao mesmo tempo gentil, e coloquei na minha cabeça que iria com tudo a noite e para minha infelicidade no fim da tarde ele foi embora .
Me senti tão arrependido, mas resolvi esquecer. Semana passada , vem um caminhão e sobe do nada balança e era um dos caminhões da firma que puxa internamente, fui para fora, ver quem era , a porta abre e desce seu Pedro, na hora meu coração deu uma acelerado, estava com a barba para fazer, aquela cara de safado, uma calça apertada,
Pedro: E ae guri?
eu já fui bem animado.
Eu: quem e vivo sempre aparece.
Ele me explicou que iria terminar de puxar o milho que faltava, e iria pousar na fazenda e disse:
Pedro: heim .. vem aqui na cabine tem algo para você . segui ele, eu super animado fui ver o que era, ele empurrou para trás da porta e me mostrou o litro e disse:
Pedro: da um gole Agora!!! ( voz forte e autoritária) antes que a câmera pega.
eu só obedeci, dei um gole desceu queimando, me deu até um calor mas não era da pinga. ele me olhou no fundo dos olhos e disse serio.
Pedro: A noite quero te falar um negocio. subiu no caminhão e saiu pra roça. fiquei pensando e ja montei um plano para poder fazer algo com mais privacidade, o dia passou , encerrei o expediente e nada dele vir, entrei no quarto e quando escureceu olho lá para armazém e vejo o caminhão dele. disfarço e vou no escritório, na volta passo e o vejo sentado, acho que ele ja estava me esperando. ele já me vê e sinaliza para mim ir ate ele .
Eu: Boa noite . Já esta bebendo ? ele com sentado no tanque do caminhão, da um sorriso safado e diz:
Pedro: Tenho que me esquentar , esta de noite neh. Estávamos meio longe dos dormitórios então minguem conseguiria escutar nossa conversa, não perdi tempo.
Eu: olha se vc quiser eu te esquento. Ele me olhou de cima embaixo, deu aquele sorriso safado e disse:
Pedro: Pode ser , pelo jeito vc é fogo. Demos risadas trocamos de assunto, conversamos sobre muitas coisas.
Eu: Seu Pedro , vou tomar banho e já volto. fui no quarto tomei, banho troquei de roupa . peguei a chave do carro. sai com o carro parei perto do caminho e disse:
Eu: Vamos dar uma volta ali no talhão 15 e bom para ver o céu. Ele prontamente aceitou .
Fomos para esse talhão bem afastado onde da para ver a sede e quem esteve se aproximando, pois não gostaria de ser flagrado.
Parei o carro, a ficamos alguns segundos e olhando a vista e as luzes da fazenda .
Eu: o que vc queria falar comigo. ele gaguejou e disse:
Pedro: estou casado a tempo e a vida não e mesma, e uma amizade já mas não sei como te falar , eu achei vc bonito, e não sei o que fazer sou muito tímido. ele parou de falar e ficou olhando para mim. Eu já entendo tudo .
Passei mão na barriga dele comecei a alisar aquela barriga, aqueles pelos no corpo, sinto a mão pesada e áspera , na minha perna . de repente ele com fora me puxa para seu banco , eu sento no seu colo , ele me beija forte , sinto sua barba ralando meu rosto, ele já arranca minha camisa e começa a chupar meus peitos, morder meu pescoço e me beijar. Eu ao mesmo tempo aliso, seu peito, tiro sua camisa . Ele manda eu tirar minha bermuda, alisa minha bunda , minha perna . Ele abre a porta do carro, saímos para fora. Desabotoou a calça e tiro e fico admirando aquelas pernas cabeludas, aquele corpo másculo e grande. Ele em pé e eu sentado começo a beijar a barriga dele. vou descendo ate chegar na cueca. Dou um cheiro e sinto o cheiro de um pouco de urina, puxo ela de uma vez ,e vejo aquele pênis não muito peludo, médio e grosso. Passo a língua nos ovos ate a base e começo a mamada, como se não houvesse amanha , e ele gemendo de prazer , começa a forçar minha garganta e eu já lacrimejando, sentindo os pelos dele na minha . Adoro ser judiado , faço uma garganta profunda , paro ,tiro da boca fico olhando pra ele pego seu pau e bato com ele na minha cara. Ele me levanta arranca minha cueca , me puxa pelo braço abre a minha perna e coloca uma apoiada no banco , e mete a língua no meu cuzinho com muita força me fazendo gemer , morde a minha bunda , volta a me foder com a língua. Ele se posiciona , já relaxo um pouco e ele coloca , a cabecinha e entra um pouco. Fazia tempo que eu não dava, entrou apenas a metade , ele começou a meter devagar, hora escapava , ate que foi tudo. começou a meter forte e a dor virou um prazer e ele começou a me masturbar , ate que eu gozei primeiro e com a contração escapou. eu disse que estava doendo um pouco , ele me posicionou e se masturbou e gozou na porta do meu cuzinho, bem quentinho , Nos recompomos , vestimos nossas roupas e voltamos para fazenda, como se nada tivesse acontecido.